sábado, 10 de agosto de 2013

Estudo mostra que setores comerciais urbanos também sofreram com a seca


A longa estiagem vivida pelo Rio Grande do Norte nos anos de 2012 e início de 2013, prejudicou não só o homem do campo, como também o setor do comércio na zona urbana. É o que diz um levantamento realizado pelo Serviço brasileiro de apoio às micros e pequenas empresas (SEBRAE).

Segundo informações publicados pelo órgão, as áreas mais atingidas pelos efeitos da seca foram a do comércio, serviços e indústrias. A pesquisa foi feita com 404 proprietários de pequenos estabelecimentos comerciais em pelo menos 30 cidades do estado que estão localizados na área onde a seca foi mais severa.

O estudo mostrou que a estiagem causou redução no número de clientes, faturamento baixo e elevação da inadimplência. O mesmo tem o objetivo de reverter essa situação no caso de futuras revivências da através de subsídios á futuras estratégias para o meio urbano atenuar os efeitos da estiagem.

A equipe do Portal SOS Notícias do RN conversou com a empresária Flávia Menezes, proprietária da Loja Flor D'Lothus, onde a mesma afirmou que o período seco afetou todo o comércio de Apodi. Indagada sobre a recuperação do setor, Flávia revelou que falta muito para recuperar, os estragos foram grandes e as poucas chuvas que precipitaram nos meses de abril, maio e junho não causaram bons resultados para a área. A queda nas vendas superaram a marca de 30%.

Além de Apodi, outras cidades como Almino Afonso, Florânia, Patu, Serra Negra, Ipanguaçu e Lajes também sofreram o impacto da estiagem.


Josemário Alves - Redação SOS Notícias do RN
Com informações de O Mossoroense
Foto: Portal Correio
type='text/javascript'/>