quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Cláudia Regina tem mandato cassado e poderá ficar inelegível por oito anos

O Tribunal Regional Eleitoral julgou procedentes as acusações feitas contra a prefeita de Mossoró, Cláudia Regina (DEM) e seu vice Welligton Filho (PMDB), e determinou a cassação e o afastamento imediato dos gestores da prefeitura. O julgamento ocorreu na tarde desta quinta-feira, 05 de dezembro.

Por um placar de 3x1, o colegiado analisou o pedido de cassação do Juiz José Herval Sampaio Júnior e votou a favor da perda do mandato da atual gestora municipal.

José Herval Sampaio Júnior, Juiz da 33ª Zona Eleitoral, teria determinado a cassação da prefeita Cláudia Regina desde maio deste ano, quando foi acusada de abusar do poder econômico, político e de autoridade; usar, indevidamente, meios de comunicação social; conduta vedada a agente público e propaganda institucional irregular.

Com a derrota da prefeita, o comando municipal ficará a cargo do presidente da câmara legislativa, Francisco José Júnior, até que sejam realizadas novas eleições. Contudo, a determinação judicial ainda cabe recurso. A assessoria jurídica já trabalha na defesa de Cláudia junto ao Tribunal Superior Eleitoral.

A decisão do TRE pode custar à Claudia Regina, além da cassação, a perda dos seus direitos políticos. Caso a sua defesa não consiga contornar a situação em que se encontra a gestora, ela ficará inelegível até o ano de 2020.
Outra que poderá perder seus direitos políticos é a deputada e principal rival política da prefeita de Mossoró, Larissa Rosado (PSB). Contra a ela, estão tramitando no tribunal, duas sentenças que determinam sua inelegibilidade por oito anos, permitindo que a mesma volte a concorrer ao pleito municipal somente em 2020.

O julgamento de Larissa não tem prazo final para acontecer.

Josemário Alves - Redação SOS Notícias do RN
type='text/javascript'/>