quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Sesap registra 96 casos de meningite em 2013 no Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte registrou, este ano, um total de 96 casos confirmados de meningite, doença decorrente de um processo inflamatório das meninges que pode ser causado por bactérias, vírus e fungos, dentre outros agentes infecciosos. Desde 2007, esse número chega a 919 casos, resultando em um histórico, ao longo do período, de 111 óbitos. Este ano, 96 pessoas foram acometidas e 13 foram a óbito, vitima da doença.

Os dados divulgados pela Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), da Secretaria de Estado da Saúde Pública, mostram os casos confirmados e a evolução da doença, bem como as providências da Sesap para prevenir e orientar a população. Segundo os dados da Suvige, o maior pico da doença aconteceu no ano de 2008, com 188 casos, mas desde então esse número vem diminuindo.

Segundo a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Stela Leal, a Sesap trabalha com duas linhas de atuação para a prevenção e combate à doença. “Primeiramente fazemos a investigação epidemiológica e capacitação dos médicos em serviços de saúde e, depois, verificamos a necessidade de medidas complementares como a questão do bloqueio através da introdução de medicamentos para familiares de casos suspeitos de meningites. Essa providência é feita, de forma criteriosa, juntamente com o serviço de saúde local”.

Stela Leal lembra que, devido a meningite ser uma doença recorrente, a população tem sempre que estar atenta aos seus sintomas, que são febre, dor de cabeça intensa, náuseas, vômito, rigidez da nuca, prostração(moleza do corpo), confusão mental e, em alguns casos, delírio e coma. “É preciso atenção aos sintomas, porque quanto mais rápido for o diagnóstico mais tempo o médico tem para introduzir o tratamento. Porém, quando não tratada a tempo, pode causar sequelas e até levar a óbito”, esclarece ela.

Informação: No Minuto
type='text/javascript'/>