quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Pauferrenses cobram do IFRN demissão de professor que xingou a cidade

Foto publicada pelo professor com a seguinte legenda: "Bem vindo é um kct!!!"
O clima no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN) de Pau dos Ferros foi tenso durante toda a manhã desta quinta-feira (30/01). Alunos cobram a demissão de um professor que, através de redes sociais, chamou o município de "cabaré" e criticou as condições da água e o clima na cidade. De acordo com informações da instituição, o professor não foi ao local nesta quinta-feira (30/01).
Postagem ofensiva deu início à polêmica que se espalhou
pelas redes sociais e chegou à direção do IFRN
Ontem, o professor Dhiego Fernandes usou o Facebook e lamentou o fato de ter que voltar à cidade. "Infelizmente sou obrigado a vim nesse cabaré chamado pau dos ferros. Deixo para os nativos da região ficarem tomando banho de lama e levar sol quente na cabeçaa...(sic)", postou.

Uma usuária chegou a cobrar respeito por parte do professor, afirmando que era da cidade que ele tirava os vencimentos, mas ele não levou em consideração as críticas e voltou a criticar o município e a população.
Cartazes foram espalhados pelo IFRN com mensagens ofensivas a professor
"Foda se... aqui eu posto o q eu quero. Aqui tem mil e motivos para achar essa cidade uma merda. Ja estou de passagem e vou embora dessa cidade no maximo em abril. Vcs merecem viver em uma cidade podre e tomar banho de lama por votarem nesse pessoal do democratas. Eee ooooo vida de gadooooo (sic)", postou, antes de chamar os usuários que discutiam com ele de "cambada de ignorantes". 
Poucas horas após o assunto se espalhar pelas redes sociais, Dhiego Fernandes publicou um pedido de desculpas e tivesse agido com grosseiria e afirmando que não queria xingar a população, somente a situação da cidade. Porém, os estudantes e a população e Pau dos Ferros não recebeu bem a crítica do professor.
Professor Dhiego Fernandes pediu desculpas pelas
postagens e disse que não quis ofender ninguém
Pela manhã, cartazes foram espalhados pelo campus e os estudantes cobraram a presença da direção para discutir o assunto. Até o meio-dia de hoje, toda a direção do IFRN esteve reunida com estudantes e com o reitor, Belchior Oliveira, mas ainda não havia uma definição sobre a situação do professor até o meio-dia.

Informações: Tribuna do Norte
Fotos: Redes Sociais
type='text/javascript'/>