sábado, 29 de março de 2014

Carne de jumento será servida pela segunda vez no RN em almoço para o Globo Rural

A polêmica degustação de carne do jumento ocorrida no dia 13 de março em Apodi deverá se repetir neste domingo (29/03) em Mossoró. O evento será realizado à portas fechadas no Hotel Vila Oeste, onde uma equipe do programa Globo Rural estará experimentando a iguaria e realizando uma reportagem que irá ao ar na TV Globo.

O objetivo da matéria jornalística é avaliar a possibilidade da carne de jumento ser inserida na alimentação dos seres humanos.

A equipe do programa visitou a associação que abriga os animais em Apodi, além do laboratório Safari em Macaíba, na qual avaliou a qualidade da carne do animal que será degustado, e o abatedouro em Parnamirim, onde foi feito processo de abate.
Se aprovada, a carne asinina deverá integrar a alimentação de detentos do Sistema Prisional do Rio Grande do Norte, podendo ser inserida em outras áreas ainda não confirmadas.

A inserção da carne asinina na alimentação humana tem dividido opiniões na região. Muitos tem avaliado a tal carne como sendo “impura” ou “sagrada”, uma vez que existe registros bíblicos sobre este animal.

A equipe do Portal SOS Notícias do RN conversou com professores e alunos especialistas na área, e todos reafirmaram a hipótese lançada pelo idealizador, o promotor Silvio Brito, de tornar a carne de jumento em alimento humano.
Foto: Arquivo Pessoal
Para a Zootecnista e professora do IFRN em Apodi, Angela Gracindo, há grandes possibilidades da carne de jumento ser aprovada e inserida na alimentação humana, uma vez que o maior entrave é a questão cultural. “Como zootecnista e também como consumidora de carnes vermelhas acredito que é uma carne como qualquer outra, que pode sim ser tão consumida quanto a carne bovina, bubalina, suína, caprina ou ovina. Entretanto, para ser considerada apropriada ao consumo humano, a ela devem ser aplicados os mesmos cuidados e técnicas de manejo e produção que às demais carnes”, disse à reportagem do SOS Notícias do RN.

A estudante de Zootecnia pela Ufersa, Isis Souza, também mantém o mesmo pensamento da professora Angela. Para ela, “é necessário apenas mais alguns estudos com relação à qualidade da carne no que diz respeito a valor nutricional e características sensoriais a nível de informação para o possível consumidor”.
O objetivo do promotor da Comarca de Apodi, Silvio Brito, em utilizar o jumento como alimento é reduzir o número animais nas estradas e, com isso, diminuir os acidentes. No entanto, para Angela Gracindo, a proposta do promotor não á a melhor estratégia de divulgação.


“Acredito que a proposta da degustação pode ser uma forma de incentivar o consumo da carne de jumento, porém ela deve estar associada à outras estratégias de Marketing. O apelo do abate como forma de amenizar os problemas com acidentes em rodovias, ao meu ver, está longe de se caracterizar como a melhor estratégia de divulgação e conscientização para o consumo dessa carne”, concluiu ela.

Josemário Alves - Redação SOS Notícias do RN

3 comentários:

  1. Carta aberta ao povo brasileiro dos defensores dos animais, do Nordeste

    Que nosso grito ecoe por todos os rincões da nossa pátria, escutado por um povo que deve ser justo e humano, também por pessoas simples que amam os seres que tanto serviu os seus antepassados na construção de um Brasil nascido do Nordeste, do desenvolvimento e sobrevivência de tantos e tantos...

    Mas hoje, este SER está sendo destronado, o motor foi tomando seu lugar. Em tempos atrás tanto valor tinha... mas o homem o abandonou e pelas estradas segue seu caminho até ser atropelado, atrás de comida e se isso não bastasse, querem fazer de sua carne - para nós sagrada – alimento para os penitenciários e, depois para as crianças em suas merendas escolares, os netos daqueles a quem tanto benefício lucrou em sua sobrevivência, no uso desses animais para o sustento de sua família não morrerem de fome.

    O senhor Sérgio Brito, Promotor da cidade da Apodi no Rio Grande do Norte, guardião das leis infringindo as próprias, dando continuidade (em segredos trocados) às desumanas ideias nascidas da ignorância dada pelo oportunismo e ânsia de aparecer mesmo que na lama seja, do então governador desta mesma capital brasileira em que anos atrás tentou em suas “brilhantes gananciosas ideias”, vender os jumentos para a China trucidar em seus delicados dentes, cariados ou banguelos a carne destes queridos nossos animais, patrimônio do Nordeste: Assassinou, dias atrás, dois jumentos, estando uma prenha, aos risos e sarcasmos conforme vídeo para uns 300 convidados se deliciarem numa refeição draculêsca, da carne destes nossos irmãos se não já bastassem a mortandade aos milhares de bois, frangos, porcos...

    Do mais profundo das nossas entranhas irrompendo da fonte onde emanam as lágrimas, estas águas nos inundaram em revoltas, dores, angústias, sofrimentos atroz, não somente eles sofrem, embora outros riem.

    Apelamos para a população de sentimentos fazendo jus a esta palavra “humano”, do Nordeste, Sul, Leste, Sudeste e Noroeste brasileiro! Ajudem como possam a que estas carnificinas não mais aconteçam! Já fizemos petições, pedidos... mas agora estamos implorando ao Brasil que segure as rédeas da ignorância, da falta de inteligência dada pela negligência de atuar como deve , usando o caminho que consideram ser o mais fácil o de matar, por falta de clareza e bons princípios.

    Impeçam e impeçam!. Salvem os estimados e por nós respeitados jumentos, burros ou jegues.

    Assim como foi impedido a ida dos jumentos para a China, graças à luta de muitos principalmente da Doutora Geuza Leitão conseguindo que a ONG francesa ONE VOICE ajude a alimentá-los no santuário aberto para estes seres, hoje funcionando no Ceará na Fazenda Pula Rodrigues no Município de Santa Quitéria. Assim, também vamos impedir que não aconteça por aqui o que foi evitado que acontecesse na China

    “A NOVA FONTE DE PODER NÃO É O DINHEIRO NAS MÃOS DE UNS POUCOS,
    MAS A INFORMAÇÃO NAS MÃOS DE MUITOS”

    ResponderExcluir
  2. como cidadã e muito incomodada com a repercussão desta historia e principalmente com as possíveis consequências, GOSTARIA de ser informada em quais ESTUDOS(acreditando na responsabilidade e idoneidade deste veiculo de comunicação) são baseadas estes informações, e peço por favor, ser claro quanto a referencias técnicas científicas, estas pessoas estão apresentando seus argumentos!!!

    Como cidadã, Agrônoma, Veterinária, Mestre e Doutoranda em ciência animal com área de concentração em Produção e Sanidade Animai e tese em desenvolvimento com manejo populacional de asininos (jumento), desconheço totalmente tais estudos e adoraria obtê-los
    Grata pela atenção e CERTA da resposta, já agradeço

    ResponderExcluir
  3. Cara leitora, todas as informações aqui expressas são baseadas no que dizem os entrevistados. Em nenhum momento, foi relatado algum estudo já realizado. Inclusive, uma das entrevistadas comentou que estaria faltando apenas alguns estudos mais detalhados, como você pode observar no texto.

    Recomendamos uma leitura mais atenciosa.

    Desde já,agradecemos pela visita.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Seja consciente em seu comentário, ele será rigorosamente avaliado antes de ser publicado.

Não será permitido palavrões e/ou termos que ofendam pessoas públicas.

Obrigado por visitar o Portal SOS Notícias do RN.

type='text/javascript'/>