quarta-feira, 16 de julho de 2014

Consepe aprova adesão da UERN ao Enem como forma única de ingresso

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE), aprovou por 18 votos a favor e duas abstenções, a adesão da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), ao ENEM/SISU.

A partir de agora, a instituição passará a adotar o ENEM como única forma de ingresso, já para o primeiro semestre de 2015.

Antes dos conselheiros votarem a adesão, eles assistiram a uma exposição do diretor da Comissão Permanente do Vestibular da UERN (COMPERVE), professor Egberto Mesquita. Entre outros pontos, ele explicou quais as alterações que o Exame Nacional do Ensino Médio provocará em relação ao Processo Seletivo Vocacionado (PSV).

Segundo o professor, como o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), determina respeito à autonomia das universidades que adotarem o ENEM, a UERN poderá definir peso diferenciado nas provas, mantendo a mesma sistemática do vestibular vocacionado.

Outro diferencial será o regime de cotas para portadores de necessidades especiais (PNE), aprovado pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. “As políticas de cotas sociais serão mantidas”, adiantou o diretor da COMPERVE, lembrando que também não haverá prejuízo para os alunos da rede pública de ensino, antes amparados também por uma lei estadual. As regras do ENEM asseguram cotas para os alunos oriundos das escolas públicas. Isso significa que todos os benefícios do PSV serão mantidos.

A Pró-Reitora de Ensino de Graduação, Inessa Linhares, explica que o ENEM será adotado para todos os cursos da UERN. Inessa adianta que mesmo com a aprovação pelo CONSEPE, a Universidade seguirá todo o calendário universitário que prevê para o dia 15 de setembro, a publicação do edital quando serão definidas as vagas e todas as normas para o ingresso na instituição.

Depois de aprovar internamente as normas para o ingresso, a UERN assinará termo de adesão ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que permitirá a participação dos alunos nas políticas de assistência estudantil como FIES, PROUNI, Ciências Sem Fronteiras e outros programas do governo federal.

A adesão ao exame e ao sistema do Ministério da Educação possibilitará, ainda, o direcionamento de uma verba de R$ 2 milhões e 250 mil como incentivo aos programas de assistência estudantil da UERN.

O reitor Pedro Fernandes lembrou que antes da aprovação pelo CONSEPE, colegiado competente para definir a forma de ingresso-, a adesão da UERN ao ENEM foi amplamente discutida com a sociedade potiguar. A Universidade participou de audiência pública na Câmara Municipal de Mossoró, realizou fóruns de debates no âmbito da universidade e anunciou a possibilidade de adesão nos órgãos de comunicação e em todas as ocasiões onde o assunto foi tratado. “A discussão do ENEM na UERN, tornou-se pública”, reforçou o reitor.
type='text/javascript'/>