sexta-feira, 4 de julho de 2014

Promotor afirma que linchamentos é consequência da descrença na Justiça

Suspeito foi amarrado e agredido pelos moradores da vizinhança em São José de Mipibu, na Grande Natal (Foto: José Aldenir)
Por Josemário Alves / Redação SOS Notícias do RN
Com informações e foto: G1/RN


Um promotor de Justiça da área de investigação criminal do Rio Grande do Norte provocou polêmica, nesta quinta-feira (03/04), ao afirmar que as chamadas justiça com as próprias mãos é motivada pela ineficiência dos órgãos de segurança. O depoimento foi dado após a publicação de uma pesquisa na qual revelou que o RN é o terceiro estado com maiores números de linchamentos registrados no país. 

Wendell Beetoven Ribeiro Agra relatou que os casos de linchamentos são desabafos da população à grande criminalidade que rodea o estado potiguar. “Como as pessoas desacreditam, elas passam a fazer justiça com as próprias mãos, o que é uma forma totalmente ilegítima de aplicação de punição. O cidadão age quando o Estado falha”, disse. 

Nos três primeiros meses de 2014, a PM registrou cinco casos de linchamentos no RN, mantendo essa média até o fim do primeiro semestre. A medida usada pela população é uma alternativa de segurança quando o Estado falha com o seu dever. O ato é criminoso perante os órgãos competentes, mas, as vezes, é a única forma de fazer justiça. 

O comandante geral da PM, coronel Francisco Araújo Silva alerta para quem for pego “praticando atos como esses será preso”.
type='text/javascript'/>