sexta-feira, 17 de outubro de 2014

CAERN não cumpre acordo e prefeito de Apodi embarga obras de adutora

Foto: Prefeito Flaviano Monteiro solicita paralisação de obras da adutora Santa Cruz-Mossoró e pede apoio da  população apodiense

Ao solicitar, mais uma vez, a paralisação das obras da Adutora Santa Cruz-Mossoró, o prefeito Flaviano Monteiro, volta a pedir o apoio dos apodienses para a luta em favor da regularização do abastecimento  de Apodi, como condição mínima para que a água do solo apodiense possa sair dos seus mananciais para abastecer outros municípios.

O pedido do prefeito às empresas responsáveis pela obra foi feito hoje (16/10), no bairro Bico Torto, onde estão sendo colocados canos da adutora. “A continuidade da obra depende da CAERN e do Governo do Estado em atender as reivindicações do nosso município. Não podemos deixar a Água que está em solo apodiense ir para todos os lugares e a nossa cidade ter dificuldade de abastecimento”, esclareceu.  

Alguns problemas de abastecimento de água no município foram enumerados pelo prefeito: em alguns bairros não existe abastecimento regular; a adutora da região da Pedra, onde está a Barragem de Santa Cruz, não saiu do papel;  algumas comunidades rurais como Soledade, Urbano, Corrego,  têm sérios problemas de abastecimento. “Por isso peço o apoio de todos para  dizer ao Governo do Estado e à CAERN  a adutora só passará pela nossa cidade,  quando o problema de abastecimento de Apodi for resolvido”, avisa.

Em agosto de 2013, o prefeito entrou com ação de embargo da obra da adutora,  pedindo a paralisação da obra que não havia sido autorizada pela prefeitura. As empresas responsáveis, Hidroconsult e Caern, enviaram representantes que se reuniram com o prefeito e vereadores e na ocasião, foi formalizado um acordo que colocou como condição para a continuidade da obra, o atendimento de algumas reivindicações.

As reivindicações feitas na época, foram: os 30% de saneamento básico, prometidos pela Caern; a Adutora para região da Pedra; a autorização para implantação do Campus Avançado da UERN; solução para o abastecimento de água de Apodi; e a conclusão do Complexo Turístico da Barragem de Santa Cruz. 

“Entendo que não e justo levar a água para todos os nossos irmãos de outras cidades e deixar parte dos filhos de Apodi de onde sai a água sem acesso. Não sou contra levar água para as outras cidades, mas entendo que nos também merecemos ter acesso a nossa água”, conclui.
Por Josemário Alves / SOS Notícias do RN
Com informações da Assessoria

O prefeito de Apodi, Flaviano Monteiro, embargou a obra da adutora Santa Cruz - Mossoró mais uma vez dentro da zona urbana do município. O motivo apresentado para tal ação foi o déficit no abastecimento de água da cidade e o não cumprimento de um acordo feito entre a prefeitura e a CAERN. Segundo Flaviano, "não podemos deixar a água que está em solo apodiense ir para todos os lugares e a nossa cidade ter dificuldade de abastecimento".

O pedido informal do prefeito às empresas responsáveis pela obra foi feito na tarde de quinta-feira (16/10), no bairro Bico Torto, onde estão sendo colocados os canos da adutora. Na ocasião, o gestor enumerou diversos problemas que tem afetado os munícipes desde o início da estiagem de 2011.

“Entendo que não é justo levar a água para todos os nossos irmãos de outras cidades e deixar parte dos filhos de Apodi, de onde sai a água, sem acesso. Não sou contra levar água para as outras cidades, mas entendo que nos também merecemos ter acesso a nossa água”, comentou o prefeito.

As obras da adutora já foram embargadas em agosto de 2013, quando, ao passar pela zona urbana, estavam congestionando o trânsito, além de não haver legalidade para a passagem do sistema adutor dentro da cidade. Na época, foi formalizado um acordo entre as empresas e a prefeitura, que colocou como condição para a continuidade da obra, o atendimento de algumas reivindicações.

Flaviano pede, ainda, o apoio de todos os apodienses na luta em favor da regularização do abastecimento de Apodi, como condição mínima para que a água do solo apodiense possa sair dos seus mananciais e abastecer outros municípios.
type='text/javascript'/>