domingo, 9 de novembro de 2014

Prefeito denuncia irregularidades em poços da Funasa instalados em Apodi

Uma das preocupações constantes do prefeito de Apodi Flaviano Monteiro, é com o problema de abastecimento de água que tem penalizado muitas comunidades rurais do município, assim como alguns bairros da cidade. Doação de bombas submersas, perfuração de cacimbas, construção de suportes para caixas d’água, entre outras ações tem sido recorrentes, desde o início da gestão.

No entanto, o problema poderia ser bem menor, se os projetos de instalação de poços da Funasa, iniciados na gestão passada, tivessem sido executados conforme estava previsto. Em comunidades como em Soledade II e São Francisco, foram constatadas irregularidades como pagamento de medições que não foram executadas e instalações em propriedades particulares, conforme tem denunciado o secretário de Agricultura, Charton Rego. 

“Constatamos que em Soledade II, existe um projeto de abastecimento de água da FUNASA, iniciado em 2012, com um poço tubular todo equipado, no valor de R$ 129. 450,46, o qual a gestão passada pagou R$ 103.560,37, o que corresponde a 80% do valor do projeto, porém menos de 30% da obra foi executada”, denuncia o prefeito Flaviano Monteiro. 

A irregularidade foi constatada pela equipe da secretaria de Agricultura do município, pelos moradores da comunidade e pelos órgãos fiscalizadores da obra. “O poço tubular no projeto deve ter 180 metros de profundidade, só que pagaram por 150 metros e cavaram menos de 70 metros. Temos provas do que estamos afirmando”, diz Flaviano, reafirmando que “o dinheiro público precisa ser aplicado devidamente, pois quando isso não acontece quem sofre é a população”.

No sítio Queimadas, a moradora Vilma afirma que fiscais do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DENOCS) estiveram no local onde foi construído um poço que foi instalado em uma propriedade particular, local que não beneficia a comunidade, e ficaram surpresos pela obra não estar de acordo com o que consta no projeto original. O que também foi constatado pelo secretário Charton Rego. 

“Enquanto alguns vereadores se preocupam com cores da fachada dos cemitérios, me preocupo com desvio de recursos de obras que poderiam estar amenizando a situação de algumas comunidades rurais que enfrentam sérios problemas com a falta de água nas suas residências, num município com o lençol freático tão rico como o nosso”, finaliza Flaviano.
type='text/javascript'/>