segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

CDL de Apodi estima baixo crescimento no comércio para o fim de ano

Por Josemário Alves / SOS Notícias do RN
Foto: Josenias Freitas

Mesmo após as promoções especiais do Black Friday, ocorridas em novembro passado, a Câmara de Dirigentes Lojistas, a CDL de Apodi, segue pessimista em relação ao crescimento real da economia varejista para 2014 e acredita que, até o Natal, este número, na comparação com o decorrer do ano, deve aumentar, apenas, em torno de 5%.

Seguindo esta lógica, se a expectativa dos lojistas se confirmar, o balanço geral registrado a cada fim de ano deve igualar a expansão do ano passado, quando a alta variou entre 2% e 5%, enquanto nos anos subsequentes, as expansões médias foram maiores.

De acordo com o presidente do CDL, Márcio Valdevino, essa queda nas vendas de fim de ano tem se agravado devido ao longo período de estiagem sofrido pelos municípios do interior do Rio Grande do Norte, principalmente os que compõem a região Oeste, como Apodi.

“O cenário hoje ainda mostra o comércio um pouco estável, a gente não está com um grande aumento nas vendas, mas devemos ver que estamos em um período de seca que já vem a muito tempo, e isso afeta muito o comércio em geral. Estamos esperando para este finalzinho de dezembro, uma pequena aceleração nas vendas, por que vai chegando ai o décimo terceiro, férias, e o próprio natal”, informou.

Ainda segundo Márcio, o comércio deve continuar sem grandes perspectivas de crescimento, por pelo menos quatro anos, quando o período de estiagem já deverá ter amenizado e a cidade receberá grandes investimentos de infraestrutura.

“Eu acho que o crescimento do comércio e da economia local tende a melhorar nos próximos quatro anos, quando a gente tiver recebendo essa faculdade que tá pra sair e o canal de irrigação que vai dar uma alavancada muito grande na nossa região, que eu acho que nós mesmos vamos nos surpreender. Mas eu acredito que enquanto estivermos com essas poucas chuvas, não devemos esperar muito crescimento, temos que ir com pé no chão, se acostumando com aquele faturamento que já vem de costume”, concluiu Márcio.

Mesmo assim, o presidente da CDL comunica que o comércio não deverá cair, apenas se manterá estável até que os bons ventos comecem a soprar ao seu favor.
type='text/javascript'/>