sexta-feira, 10 de junho de 2016

Irmão do vereador Júnior Carlos conta como e porquê matou comerciante em 2009

(Foto: Josemário Alves)

Durante julgamento na manhã desta sexta-feira (10) no Fórum Desembargador Silveira Martins em Mossoró, o autônomo Jônatas Costa Carlos, de 35 anos, contou detalhes de como matou o comerciante José Sales Sobrinho, dentro de um bar no ano de 2009 em Apodi.

O crime chocou a população, na época, pelos motivos banais e culminou em outro assassinato quatro anos depois por vingança.

“Não tive essa intenção, mas infelizmente fui eu que atirei. Não consegui me controlar”, respondeu ele ao juiz, após ser questionado se confessava o assassinato. 

Na época, Jônatas não foi preso por que conseguiu livrar o flagrante, mas foi visto na cena do crime por diversas testemunhas.

Ele destacou que, quando era ameaçado por Sobrinho, só pensava nas suas duas filhas gêmeas, que tinha acabado de nascer e como seria a vida delas caso ele fosse morto.

Quatro anos depois, em 2013, o pai de Jônatas, o comerciante Raimundo Nonato de Carlos, de 60 anos, foi assassinado por vingança.

“Perdi meu pai, quem matou foi o filho de Sobrinho. 40 dias depois, minha mãe morreu. Minha família foi destruída”, frisou o réu.

Enquanto prestava depoimento no Tribunal, vários familiares de Jônatas Carlos choraram relembrando o crime.


Leia matéria completa AQUI.

Veja depoimento:

type='text/javascript'/>