quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Pesquisas políticas: confiar ou não?

Vi um amigo questionar no Facebook a confiabilidade das pesquisas realizadas em época de política (campanha).

Segundo ele, elas são feitas com “alienação e enganação” para iludir os eleitores e, como ‘prova’, relembrou as pesquisas passadas que apontaram a vitória de Henrique para governador em 2014 e o empate técnico entre os três candidatos nas eleições de 2012 em Apodi.

Ao contrário do que disseram as pesquisas, Henrique perdeu para Robinson, a nível de estado, e Flaviano ganhou com uma maioria avassaladora em Apodi.

Apesar disso, é necessário considerar, que as pesquisas eleitorais são temporais, ou seja, avalia a opinião e o voto das pessoas naquele momento.

Uma pesquisa encomendada pelos lojistas de Apodi apontou uma larga vantagem de um candidato para o segundo colocado, mas isso não quer dizer que vá se manter assim até o dia das eleições.

Hoje é um cenário. Amanhã é outro.

Quem disse que votava em A hoje, daqui a uma semana pode estar do lado de B, e vice-versa. É como dizem por ai: “Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou.”

Se não fosse assim, a política não tinha graça.
type='text/javascript'/>