segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Por atraso no repasse, agricultores de Apodi só receberão Seguro Safra em novembro


(Foto: Josemário Alves)

Os agricultores familiares de Apodi, que perderam suas produções no ano de 2015/2016, só irão receber a primeira parcela do Garantia Safra a partir novembro deste ano. O pagamento deveria ter começado em setembro passado, segundo cronograma divulgado pela coordenadora do programa no Estado, Magnalda Fontoura

O motivo foi o atraso do repasse pelo Governo do Estado. Até o momento, somente o Governo Federal efetuou o pagamento total de suas parcelas.

Segundo o secretário de Agricultura de Apodi, Jerlândio Moreira, o atraso do Estado impediu que o Município pagasse a sua parte.

“O atraso se deu por conta da mudança de secretário no Estado. O convênio não havia sido assinado e, por isso, não podia ser pago pelo município. Graças a Deus conseguimos assinatura do ex-secretário e agora estamos regularizando o programa”, afirmou.
 
Jerlândio concluiu dizendo que, apesar do atraso, a prefeitura ainda está dentro dos prazos!. A previsão é que o Estado repasse a sua parte, em parcela única, no próximo dia 15 de novembro.
 
Por conta disso, os cerca de 1,3 mil agricultores familiares existentes no município só irão receber a primeira parcela a partir de novembro. Ao todo, serão cinco parcelas no valor de R$ 174 cada.
Agnaldo Fernandes (Foto: Josemário Alves)

Para o presidente do Sindicato dos Agricultores e Agricultoras Rurais de Apodi (STTR), Agnaldo Fernandes, o atraso só prejudica o pequeno produtor que necessita do auxílio para manter seu rebanho. Ele destaca ainda que os agricultores não podem pagar o preço por aquilo que não é de sua competência.

“Poucas políticas públicas foram feitas no nosso município, no sentido a ajudar o agricultor a enfrentar esse momento caótico de crise hídrica, que afeta a produção e o rebanho. Então, é mais do que obrigatório e justo, o município fazer o repasse que lhe compete. Se está tendo problemas burocráticos, eles que resolvam, porque são os entes governamentais que devem resolver. Nós não devemos pagar o pato por isso”, afirmou o sindicalista.

O Garantia Safra é um benefício que visa garantir condições mínimas de sobrevivência aos agricultores familiares de municípios sujeitos a perda de produção, por conta de fenômenos naturais como a estiagem, excesso ou irregularidade das chuvas.

O programa funciona a partir de contrapartida entre União, Estado, Município e o próprio agricultor.
(Foto: Josemário Alves)
type='text/javascript'/>