quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Presos do CDP de Apodi leem livros em troca de redução da pena

(Foto: Divulgação / CDP Apodi)
 
Para cada obra lida, são quatro dias reduzidos da pena. Este é o projeto que chegou ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Apodi e promete ajudar na ressocialização de presos que cumprem pena no regime fechado.

A ideia pioneira no Nordeste foi lançada em janeiro deste ano na Penitenciária Agrícola Mário Negócio, em Mossoró, e se expandiu para outras unidades prisionais do Estado.

Em Apodi, 20 detentos estão sendo os primeiros a participar do projeto. Eles recebem um livro e tem até 30 dias para realizar a leitura e produzir uma resenha sobre o mesmo.

Isto irá possibilitar ao apenado, conforme critério legal de avaliação, a remição de quatro dias de sua pena e, ao final de até 12 obras lidas e avaliadas, terá a possibilidade de diminuir 48 dias na sua pena total.

A ideia foi bem aceita pelos detentos.

Alan de Oliveira, que cumpre pena por roubo, escreveu na sua primeira resenha que aprendeu a importância de não tomar decisões precipitadas e elogiou o projeto.

“Às vezes tomamos decisões precipitadas e podemos magoar as pessoas que nos amam de verdade. Mas com a ajuda do projeto, que foi uma ideia excelente, faz com que a gente possa sair daqui pensando de forma diferente e antes de fazer qualquer coisa, temos que pensar para não se arrepender depois”, disse.

Segundo Márcio Morais, diretor do CDP, iniciativas como essas são benéficas tanto para o preso, como para a sociedade.

“Sabemos que um dia, após o cumprimento de sua pena, o preso vai voltar, e temos o dever legal e a obrigação moral de o entregarmos mudado”, afirmou ele.

O trabalho está sendo avaliado pela juíza da Vara Criminal da Comarca de Apodi, Tathiana Freitas de Paiva Macedo e pelo promotor Victor Hugo de Freitas Leite. A previsão é que mais presos possam ser beneficiados com o projeto em um futuro próximo.
type='text/javascript'/>