quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Delegado vai sugerir exame de sanidade mental na mãe que tentou matar o filho estrangulado

(Foto: Polícia Civil / Cedida)

O delegado Renato Oliveira, de Apodi, deve concluir ainda esta semana a investigação do caso da mãe que quase matou o filho de 2 anos por esganadura no dia 28 de dezembro passado.
 
Renato vai recomendar no seu relatório que a Justiça determine a realização de exames de sanidade mental na mãe do menino, que confessa o crime.

O delegado Renato Oliveira iniciou a investigação a partir da apuração feita pelos agentes civis Wilson Filho e Soldado Jadson. Os dois receberam o comunicado dos médicos da UTI do Hospital Wilson Rosado de que a criança tinha sintomas de agressão grave.

Após levantamento, os dados foram passados para o delegado Renato Oliveira, de Apodi, que passou a ouvir as partes e solicitou um exame pericial na criança. O exame foi feito e o médico legista não teve dúvidas que havia ocorrido uma tentativa de homicídio.

Com esta informação já certa, o delegado interrogou o pai do menino, que negou que tivesse sido o autor do crime. Ele contou que saiu para trabalhar e quando retornou já encontrou a criança doente e precisando de ajuda. Explicou que assim que viu saiu logo à procura de ajuda médica.

Nesta terça-feira (03), o delegado interrogou a mulher dele, que se apresentou com dois advogados. Na ocasião, demonstrando nervosismo, a mãe do menino confessou que, teve raiva porque o menino estava sendo impulsivo e disse: “Peguei ele pelo pescoço e balancei”.

Ela narrou ao delegado que de fato tinha apertado com força desproporcional o pescoço da criança. Disse que a intenção não era matar e que logo em seguida ligou para a mãe dela e também para o marido, narrando o ocorrido. Esta informação, o marido sonegou na Polícia.
(Foto: Josemário Alves)
 
O delegado Renato Oliveira afirmou que para concluir o seu trabalho basta apenas ouvir o depoimento da mãe desta jovem e também alguns vizinhos em Apodi. Quer ter certeza de que este comportamento dela não é algo recorrente e que possa vir a acontecer de novo.

Ao concluir o inquérito, o delegado Renato Oliveira disse que vai indiciar a mãe por tentativa de homicídio, o pai por mentir e também vai recomendar em seu relatório que o Poder Judiciário determine que seja realizado um exame de sanidade mental na mãe do garoto.

No Hospital Wilson Rosado, a informação é que o quadro da criança continua grave e que a recuperação é lenta.
 
Do Mossoró Hoje
 
 
 
type='text/javascript'/>