terça-feira, 3 de janeiro de 2017

“Houve tentativa de homicídio por esganadura”, diz delegado sobre o caso da criança de Apodi

(Foto: Josemário Alves)

O delegado Renato Oliveira, que investiga o caso da criança de 2 anos que está internada em coma induzido no Hospital Wilson Rosado, já tem em mãos o diagnóstico da avaliação do médico legista do ITEP.

“Houve tentativa de homicídio por esganadura”, diz o delegado Renato Oliveira, que deve interrogar os pais novamente na manhã desta terça-feira, 3. Os hematomas no pescoço da criança, o formato e o tipo indicam com clareza a tentativa de esganadura.

A criança chegou na Unidade de Terapia Intensiva no dia 28 de dezembro de 2016, tendo sido encaminhada já da emergência do Hospital Regional Tarcísio Maia, que já tinha recebido a criança vindo de Apodi.

Os pais pareciam nervosos.

Leia também:

Criança de 2 anos é estrangulada em Apodi; pais são os principais suspeitos

Criança estrangulada em Apodi passa por exame de corpo de delito e segue internada 
 

Eles não explicaram direito como a criança tinha ficado com aqueles hematomas e acionaram os agentes da Polícia Civil de Plantão, de Mossoró. Os agentes Jadson e Wilson Filho atenderam a ocorrência e levaram os pais para prestar esclarecimentos na polícia.

O casal foi liberado e nesta segunda-feira (02), o delegado Renato Oliveira, de Apodi, recebeu a documentação para dá sequência ao caso. Ele foi pessoalmente com o médico legista do ITEP avaliar o quadro da criança na UTI pediátrica.

Com a nova oitiva dos pais, o delegado espera determinar quem realmente tentou matar a criança. A investigação deve ser concluída nos próximos dias e tudo indica que os pais, que são novos e não tem outros filhos, serão indiciados pela tentativa de homicídio.


type='text/javascript'/>