sábado, 6 de maio de 2017

Três meses após massacre de Alcaçuz, corpos e cabeças ainda aguardam DNA, destaca Folha de São Paulo

(Foto: Josemário Alves)
A Folha de São Paulo, um dos principais jornais do país, destacou em seu portal neste sábado (06) a incompetência do Governo do Rio Grande do Norte sobre as vítimas do massacre em Alcaçuz ocorrido há três meses atrás.

Segundo a reportagem, três corpos e quinze cabeças ainda aguardam por exames de DNA para serem identificados e liberados para as suas famílias. O motivo da demora é que o Instituto Técnico e Científico de Perícia (ITEP) do Estado não possui laboratório com tecnologia para análise do código genético.

A direção do ITEP diz que os exames serão feitos neste mês de maio no laboratório da Polícia Científica da Bahia.


O massacre de Alcaçuz deixou 26 mortos, segundo o Governo do RN. A rebelião teve como estopim a disputa entre facções rivais dentro do presídio.


type='text/javascript'/>