segunda-feira, 31 de julho de 2017

Após rompimento de Zé Maria com PCdoB, Aloma Tereza anuncia que não vai assumir direção do hospital de Apodi

(Foto: Josemário Alves | Arquivo)
A professora Aloma Tereza anunciou, nesta segunda-feira (31), que não vai mais assumir o cargo de diretora do Hospital Regional Hélio Morais Marinho, em Apodi. A decisão foi divulgada através do seu perfil pessoal no Facebook.

Na publicação, Aloma destacou que a sua decisão foi motivada pelos conflitos e rompimentos entre integrantes do grupo da Nova Geração, no qual ela denomina de “leiloeiros”.

“A atuação dos “leiloeiros” não nos permitiu ir adiante e somente por esta razão declinei da nomeação”, escreveu. A professora diz ainda que quer distância dessas pessoas que não enxergam o ser humano, e sim votos.

Ela encerra a nota desejando boa sorte ao futuro diretor do hospital e se colocando à disposição para ajudar no que for possível.
 
Aloma foi nomeada como nova diretora do Hospital Regional de Apodi no dia 25 de julho, logo após o ex-diretor Leandro Maia ter sido exonerado pelo Governo do Estado de forma repentina. Na época, Leandro disse em entrevista que a atitude do Governo foi uma retaliação pelo protesto contra o fechamento do hospital.

Confira a nota de Aloma na íntegra:

SOBRE A NOMEAÇÃO PARA O HRHMM

Sem haver ainda me posicionado publicamente sobre o assunto, passo a fazê-lo com o único fim de encerrar, definitivamente, essa onda de especulações e espetacularizações em torno do tema.

Na última terça-feira, através de redes sociais, tomei conhecimento da minha nomeação pelo Governador do Estado para o exercício do cargo de Diretora do Hospital Regional Hélio Morais Marinho. De lá para cá vi meu nome ser aplaudido por uns e questionado por outros, o que é perfeitamente normal numa sociedade tão plural e com pensamentos tão diversos. Não obstante, a referida nomeação fora surpresa para mim tanto por não integrar a saúde pública, quanto por nunca ter sido cogitado nada sobre o assunto.

A nomeação partiu do Diretório do PCdoB (partido do qual sou filiada), certamente em apreço ao trabalho de gestão que realizamos nos últimos anos.

Passado o tumulto inicial, após receber "apoios" e incentivos de muitos do então denominado grupo Nova Geração, inclusive, daquele que era seu nome mais expressivo, fui novamente surpreendida, através das redes sociais e de blogs, com as mais variadas notas anunciando rompimentos em razão dessa nomeação. Como se estivéssemos num leilão.

Sobraram vaidades, disputas de egos e quedas de braços para mensurar prestígios. Faltaram em todas as notas preocupação com os rumos do HRHMM, com o trabalho a ser feito e com o ideal de somar forças.

A atuação dos "leiloeiros" não nos permitiu ir adiante e somente por esta razão declinei da nomeação. Apesar de agradecida pela indicação do meu nome, optei por não assumir o cargo em respeito à minha história de vida, de trabalho e à minha família. Não poderia assumir um desafio tão grande sem que mãos estivessem estendidas, por entender que trabalho bom é o que é feito em coletividade, somando forças.

Agradeço a cada um que, honestamente, desejou que essa fosse uma empreitada de sucesso, ao passo em que repudio todos aqueles que antes de enxergar o ser humano, enxergam votos. Dos que tramam por trás para que o resultado seja o que lhes convém, ao mesmo tempo em que dizem "Vá em frente! Estamos juntos", quero distância. Caráter e dignidade são valores que não se compram e política para mim será sempre a que é feita com respeito à coisa pública e, sobretudo, às pessoas.

Desejo sorte ao futuro Diretor do HRHMM e como cidadã que ama essa terra, me coloco à disposição para ajudar no que estiver ao meu alcance.

Sigamos em paz.
Aloma Tereza.


type='text/javascript'/>