segunda-feira, 23 de outubro de 2017

EMPARN e Embrapa da Paraíba farão colheita e análise de algodão colorido cultivado em Apodi

(Foto: Divulgação | EMPARN)
A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), em parceria com a Embrapa Algodão, com sede em Campina Grande/PB, farão nesta terça-feira (24), uma colheita experimental do algodão colorido, na Estação Experimental de Apodi, no Oeste Potiguar. Estão sendo desenvolvidas duas linhas de pesquisa com algodão, segundo José Renato Cortez Bezerra, Doutor em Recursos Naturais e pesquisador do Núcleo de Pesquisa do Semiárido, da Embrapa Algodão.

Segundo o pesquisador, uma linha é de melhoramento para identificar materiais genéticos adaptado às condições irrigadas visando alta produtividade com qualidade de fibra, compatível com as demandas da indústria têxtil. Também se busca identificar materiais visando novos nichos de mercado, onde temos o algodão colorido e o algodão de fibra longa, convencionais e transgênicos.

A outra linha de pesquisa é o manejo da irrigação visando alta produtividade também com alta qualidade de fibra. Neste aspectos, segundo Renato Bezerra, tem sido testadas várias lâminas de irrigação, com manejo efetuado em função de várias metodologias (tipos de equipamentos que definem o momento da irrigação) visando o aumento da eficiência do uso de água. Ou seja, se busca altas produtividades utilizando um menor volume de água.

Acrescentou que “tem ainda uma linha de pesquisa que visa identificar ao longo do ciclo qual a fase em que a cultura pode sofrer déficit hídrico sem causar muito efeito negativo, de modo que possamos produzir bem com menor uso de água”.
 
 
type='text/javascript'/>