domingo, 15 de outubro de 2017

Encaminhamentos de apodienses grávidas para outras cidades aumentou em 148% nos últimos quatros anos, aponta levantamento

Ambulância da maternidade realizando transferência de apodiense para Mossoró (Foto: Josemário Alves)
Um levantamento produzido com base nos dados do Ministério da Saúde e divulgado pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde de Apodi, aponta um aumento considerável de 148% no número de gestantes apodienses encaminhadas para maternidades de outras cidades durante os anos de 2013 a 2016.

A comparação foi feita em relação aos quatros anos anteriores, ou seja, 2009 a 2012.

De acordo com os dados, no quadriênio 2013-2016, a Maternidade Claudina Pinto de Apodi encaminhou 286 mulheres apodienses para dar à luz em Mossoró e Alexandria, enquanto que no período de 2009-2012, foram encaminhadas 115 gestantes.

A diferença de 171 apodienses significa um aumento de 148%.

Conforme a equipe técnica, o levantamento dos dados mostra que a produtividade da Maternidade de Apodi decresceu nos últimos quatros anos. Para provar isto, foram realizadas outras comparações, como o número de autorizações de internações hospitalares, e de partos normais e cesáreos.

No período de 2009 a 2012, foram autorizadas 3.402 internações hospitalares na Maternidade Claudina Pinto. Em 2013-2016, foram 2.657.

No tocante ao número de partos, foram realizados 1.895 partos normais e cesáreos durante o quadriênio 2009-2012. Nos quatros seguintes foram 1.657 partos.

Diante do levantamento, a Secretaria de Saúde destaca os números positivos na produtividade no período de 2009 a 2012, desmentindo informações veiculadas na imprensa local de que este teria sido o período em que a APAMI, administradora da maternidade, estaria ‘afundada’, ou seja, sem produção.

“Os dados demonstram que foi o período em que a APAMI mais produziu e menos encaminhou parturientes para outras cidades”, conclui a equipe técnica em nota.

FACENE Mossoró

type='text/javascript'/>