quinta-feira, 26 de abril de 2018

“Se a criança estivesse no Bebê Conforto, ela estaria viva”, afirma inspetor da PRF sobre acidente em Apodi

(Foto: Arquivo Pessoal)
A trágica morte do recém-nascido Samuel Lorenzo, de seis meses, em um acidente de carro na cidade de Apodi poderia ter sido evitada se a criança estivesse usando o Bebê Conforto. É o que destaca o inspetor Roberto Cabral, da Polícia Rodoviária Federal.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Josemário, Cabral afirmou que a criança foi arremessada para fora do veículo no momento do impacto. “Se a criança estivesse no Bebê Conforto, ela estaria viva. Talvez teria sofrido alguns ferimentos, mas com certeza teria ficado dentro do carro”, destacou.

O recém-nascido sofreu uma grande pancada na cabeça, ainda chegou a ser socorrido pelo SAMU para o Hospital Regional de Apodi, mas não resistiu.

Leia:
Colisão entre carros deixa idosa e recém-nascido mortos e outros quatro feridos na BR-405 em Apodi

Ainda conforme o inspetor da PRF, o recém-nascido estava no colo da avó, no banco de trás de um Fiat Uno. A senhora também estava sem cinto de segurança e acabou morrendo. Nos bancos da frente estavam o pai e a mãe da criança. Eles foram encaminhados para Mossoró em estado grave.

A perícia da polícia apontou que o Fiat Uno seguia de Apodi para Caraúbas na BR-405, quando colidiu de frente com uma Parati, que transitava no sentido Pau dos Ferros a Apodi.

“Ao invés do Fiat ir para o acostamento e esperar o outro veículo passar, ele fez a conversão para a RN-233 que vai para Caraúbas e bateu de frente com a Parati”, explicou Cabral.

No outro carro estavam dois homens, que sofreram apenas ferimentos leves.

FACENE Mossoró

type='text/javascript'/>